Sobre Eymael

José Maria Eymael - Candidato à presidência de república.

HISTÓRIA

Nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Casado, tem dois filhos e cinco
netos e uma bisneta.

Fez seus primeiros estudos no Grupo Escolar D. Pedro I, em Porto Alegre –
RS.

A seguir, com bolsa de estudo, fornecida pela Prefeitura de Porto Alegre, concluiu o ensino Médio no Colégio Rosário e cursou duas faculdades na PUC – Rio Grande do Sul: Filosofia e Direito.

Ao formar-se em Direito, recebeu o Prêmio Paulo Brossard, por ter sido o primeiro colocado em sua turma, ao longo dos cinco anos do curso. Advogado, com especialização em Direito Tributário é também Empresário, atuando há 46 anos, nas áreas de Marketing, Comunicação e Informática.

Profissional de Relações Públicas, é um dos primeiros registros no CONRERP – 2ª Região de São Paulo. O mais velho de sete filhos de um servidor público do Rio Grande do Sul – João Eymael, começou a trabalhar muito cedo, aos doze anos de idade, como auxiliar de tipografia. Mais tarde seria um dos lideres da JOC – Juventude Operaria Católica, no Rio Grande do Sul.

Líder Universitário, presidiu o Centro Acadêmico São Tomás de Aquino da Faculdade de Filosofia da PUC – RS e a Federação dos Estudantes  de Universidades Particulares do Rio Grande do Sul – FEUP.

No exercício dessas funções de direção, coordenou campanhas nacionais e regionais de grande alcance social, como a do Barateamento do Livro Didático.

Em 1962, ingressou em Porto Alegre, no PDC – Partido Democrata Cristão, passando a atuar na Juventude Democrata Cristã. Em Ata da Reunião do PDC – Diretório Municipal de Porto Alegre – RS, lavrada em 24 de janeiro de 1963, está contida sua frase que depois nortearia toda sua vida pública: “a necessidade de constituírem-se nossas idéias políticas, em verdadeiras bandeiras”.

Em 1.985, já empresário e advogado em São Paulo – SP, como candidato pelo PDC – Partido Democrata Cristão, que então ressurgia no cenário político nacional, disputou a Prefeitura de São Paulo, construindo a base para o desenvolvimento partidário.

Foi nesta campanha, que introduziu na vida política do país, as cores da Democracia Cristã no Brasil, através das bandeiras do Partido, azuis e amarelas. Foi também nas eleições municipais de 1.985, em São Paulo,  que foi lançado o seu  “jingle” de campanha (Ey, Ey, Eymael, um Democrata Cristão), criado pelo também Democrata Cristão, José Raimundo de Castro. Hoje, nacionalmente conhecido, este “jingle” tem acompanhado toda a sua trajetória política.

Em 1986, foi eleito Deputado Federal por São Paulo, votado em 563 dos 572 Municípios do Estado, alcançando mais de 72 mil votos, uma das maiores votações para Deputado Federal, na época. Na Assembléia Nacional Constituinte, destacou-se como um dos 15 Constituintes com maior número de propostas aprovadas, tendo aprovado 145 propostas relevantes, estando a maior parte delas inserida na Constituição Brasileira.

Entre as suas contribuições para a sociedade brasileira, inscritas na Constituição Federal estão entre outras: Importantes Avanços Sociais para os Trabalhadores, Normas para a Proteção do Contribuinte, Bolsa de Estudos para alunos economicamente carentes Valorização da Família, Apoio as Pequenas Empresas, Defesa dos Pequenos Produtores Rurais, Incentivo a Atividade Econômica do Turismo e a materialização dos Valores da Justiça e da Liberdade (ver www.presidenteeymael27.com.br o documentário “Conquistas – A Democracia Cristã na Constituição no Brasil”). Ainda na Constituinte, foi autor do histórico pronunciamento que defendeu a presença do nome de Deus na Constituição, opondo-se a proposta para retirá-lo.

Conceitualmente, sua maior contribuição ao texto da nova Constituição do Brasil, foi a formulação da proposta que deu origem ao Inciso I do artigo 3º da Constituição Federal, que define o modelo de sociedade a ser construída pelos brasileiros:LIVRE, JUSTA E SOLIDARIA.

Em 1990, foi reeleito Deputado Federal, pelo PDC, também por São Paulo. Como Parlamentar, destacou-se ainda pelo grande número de Projetos apresentados, inclusive aquele que eliminou o limite de dependentes para redução do Imposto de Renda.